WWW.SOTAVENTO.COM.BR

Bem-vindo a nossa casa.

Aqui contamos histórias sobre nossas peripécias dando a volta ao mundo em nosso veleiro. Nós somos: Fabio, Miriam, Caio e Rafael e não sabemos onde vamos parar, só sabemos que vamos "Para onde o vento vai".


domingo, 7 de agosto de 2011

Travessia do Atlântico - Parte II - Detalhes Técnicos

Para os amigos velejadores

O anticiclone dos Açores tem este nome porque tem seu centro próximo dos Açores e por ser uma zona de alta pressão mantém a circulação do ar no sentido horário (hemisfério norte). A travessia dos Açores para Europa (Portugal ou mais para Baixo entrando no mediterrâneo por Gibraltar) deve ser feita sempre aproveitando o anticiclone. Veja seu comportamento no link abaixo


Os ventos que ajudam na travessia são os que vem de Oeste. Estes ventos são próprios do Anticiclone e devem ser aproveitados. A estratégia é subir de São Miguel que fica a 38 Norte para 40 ou 41 Norte com o vento pela alheta e seguir assim até próximo da costa Portuguesa.

Em Portugal é comum você encontrar ventos de Norte de 20 a 30 nós com ondas de 4 a 5 metros, então quanto mais você estiver ao Norte melhor para a chegada. Mas não exagere. Se passar de 41 você pode pegar ventos bem mais fortes que sobem junto com as baixas que passam sobre o anticiclone seguindo para Nordeste.

O mais importante é o sincronismo da saída e da chegada. Espere o momento certo. Eu fiquei esperando este momento da travessia por duas semanas antes de largar amarras em São Miguel.

Nas 788 milhas desta pernada pegamos quase sempre ventos de través e alheta (tanto de bombordo quanto de boreste) mas entre as mudanças de vento algumas horas de calmaria. Desta vez usamos pouco diesel.

Durante a travessia você deve baixar as previsões (eu uso o iridium para isso) para áreas menores que podem lhe ajudar a fazer acertos no rumo ou preparação para mudanças (elas podem ocorrer e é melhor estar preparado)

Fora isso a preparação para 10 dias (fizemos em 7) com suprimentos, água, diesel, etc.

Agora fica um detalhe interessante. Mais uma ferramenta que vale a pena ter no seu PC. O software se chama Visual Passage Planner 2. Ele tem todas as cartas piloto do mundo inteiro e ajuda a fazer o planejamento de qualquer travessia.

O mais importante: antes de planejar a travessia converse com quem já fez, de preferência mais de uma vez, a mesma travessia e pegue dicas. Lembre-se que a responsabilidade sempre será sua porque a decisão de sair é sua sempre.

Seja resoluto na questão meteorológica. Se não tiver segurança: Não SAIA.

Veja o exemplo abaixo:


O mesmo anticiclone dos Açores uma semana antes de nossa saída. Eu podia ter saído, mas repare o tamanho da pista de vento com 20 nós e os ventos próximos de Portugal em 25 a 30 nós. Passaria 6 dias orçando e forçando a tripulação e o Flyer sem necessidade. Estava tudo pronto para sair e quando eu decidi não atravessar foi só cara feia, mas a decisão foi tomada e, em retrospectiva eu acredito que foi correta.

Nenhum comentário:

Postar um comentário